Instalações em lajes e utilização de sapatas

Praticamente todas as instalações de painéis fotovoltaicos no Brasil são feitas sob 3 tipos de superfícies: telhado, laje ou solo. Em cada uma delas existem pontos mais suscetíveis a dúvidas, e nesse artigo entraremos no detalhe da construção das sapatas para estruturas de fixação para laje. 

Triangulo Convencional 

 

 Triangulo L 

 

 Triangulo Smart 

Sabemos que a ação dos ventos é muito mais intensa em estruturas FV instaladas em laje, se comparadas com sistemas alocados em telhados. O motivo é simples: a exposição dos painéis ao vento é maior e de forma mais direta em lajes, pois não estão dispostos de forma rente à cobertura, além disso, as edificações são mais altas, por se tratar de edifícios residenciais ou comerciais com vários pavimentos. Portanto, a estrutura de fixação deve ser mais reforçada, e é necessário garantir o lastro mínimo para que a instalação permaneça ancorada, evitando prejuízos e acidentes. 

A forma mais usual de manter o sistema FV ancorado é através da construção de sapatas de concreto para fixação das estruturas, mas muitas dúvidas podem surgir nesse processo, então criamos um passo-a-passo para te ajudar nessa etapa, mas antes temos algumas considerações: 

  • Evite aplicar chumbadores mecânicos diretamente na laje, para evitar problemas relacionados à resistência e impermeabilização da laje; 
  • Respeite o distanciamento das bordas indicado pelo fabricante de estruturas; 
  • Se a instalação for em local onde o relevo favoreça o surgimento de grandes correntes de vento, como encostas e cristas, consulte o fabricante de estruturas; 
  • Considere realizar uma pequena construção para servir como barreira corta-vento caso o local de instalação seja conforme descrito acima; 
  • Garanta um corredor de aproximadamente 40 cm de altura para fluxo do vento na parte inferior dos painéis. 
  • Utilize estruturas de materiais antioxidantes, como alumínio e aço inox. 
  • Siga sempre o manual de instalações do fabricante de estruturas. 

Feitas as considerações, prosseguimos para a construção das sapatas. O método indicado a seguir consiste na construção da sapata de concreto de pequena dimensão, chumbada quimicamente na laje. 

        1. Utilize bloquetes sextavados de 25x25cm, com 8cm de altura, ou construa as sapatas, utilizando moldes de madeira nas seguintes dimensões internas mínimas:  

         – Largura = 20 cm; Profundidade = 20 cm; Altura = 15 cm 

 

       Preencha o molde com concreto e aguarde o tempo de secagem (recomendação: 7 dias). Após o tempo de cura, retire a sapata do molde. 

        2. Marque as posições onde deverão ser coladas as sapatas na laje. 

       3. Impermeabilização da laje: deve-se remover a impermeabilização das áreas onde as sapatas serão instaladas, para garantir a correta aplicação da         cola química. 

  

Manta de impermeabilização 

 

Triângulo Convencional Solar Group, instalado utilizando sapatas chumbadas à laje 

 

        4. Instale a sapata na laje utilizando adesivo químico a base de Epóxi. Recomendamos o Adesivo Compound – Vedacit, dos tipos MF ou TIX, que                além de cumprir a função de chumbador químico, também apresentam a função de impermeabilização. 

        Importante: consultar manual de aplicação do fabricante da cola química, onde consta as superfícies de aplicação e o tempo de secagem ideal,                    que deve ser respeitado antes de ir para a próxima etapa. 

       5. Com uma furadeira, utilizando broca para concreto, faça um pré-furo no centro da face superior da sapata. 

       6. Posicione a base da estrutura metálica na sapata e instale o parabolt até a profundidade indicada pelo fabricante. 

       7. Finalizar a instalação das estruturas e painéis FV. 

 

 

Se por algum motivo não for possível seguir o método descrito acima, pode-se ainda construir sapatas pesadas sem aplicação de colante químico, ou ainda a fixação dos parabolts diretamente na laje, mas são métodos mais sujeitos a inconvenientes, como o excesso de peso, redução da área da laje, falha na impermeabilização, dentre outros. Se for necessário seguir com esses ou outros métodos, consulte seu fornecedor de estruturas, e lembre-se que o time técnico da Solar Group estará sempre aqui para te ajudar! 

Artigos relacionados

Cuidados com os Efeitos Nocivos do Sol aos Trabalhadores que Atuam em Instalações Externas

Na exposição ideal o sol é um dos grandes responsáveis por estimular a produção de vitamina D no organismo. Além disso, também contribui para a regulação do humor, manejo do estresse, melhoria do sono, redução da pressão arterial e eliminação de alguns tipos de fungos, bactérias e ácaros. O problema ocorre quando há excesso de…

Ver Mais

Estruturas de Solo para Sistemas Fotovoltaicos – conheça as vantagens de cada uma delas

Os sistemas fotovoltaicos estão se tornando cada vez mais populares devido à sua capacidade de gerar energia limpa e sustentável. Uma parte crucial desses sistemas é a escolha da estrutura de fixação, que pode ser instalada no solo. Neste blog, vamos explorar as vantagens das estruturas de solo para sistemas fotovoltaicos, tanto on-grid quanto off-grid.…

Ver Mais

Por que a Energia Limpa e acessível é tão importante para o Brasil?

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 deste mês de junho, foi criado exatamente para levar as pessoas a refletirem sobre a relação da humanidade com o planeta. Em 2023, as fontes limpas cresceram 50% em todo o mundo, segundo relatório da Standard & Poor’s Global Commodity Insights   O Brasil é…

Ver Mais

Entenda o que muda no Mercado Livre de Energia

Solução concorre com a instalação de energia solar fotovoltaica em alguns setores e a complementa em outros. Ganha impulso este ano com portaria que autoriza a participação de empresas com consumos inferiores a 500 quilowatts (kW). O Mercado Livre de Energia é o termo popular para o chamado Ambiente de Contratação Livre (ACL), onde fornecedores e…

Ver Mais